8 ago 2012

Na origem da palavra Educação

Já parou para pensar sobre o significado da palavra Educação?

Eu parei um dia desses. Confesso que fiquei surpreso!!

Educar vem do latim Educare, que significa instruir, criar. A palavra é composta por ex (“fora”) e ducere (“guiar, conduzir, liderar”). Ou seja, educar trazia a ideia do “Conduzir para fora”. Outras fontes dizem “Extrair de dentro”. Se fôssemos dar uma missão à essa palavra, essa missão seria: “Preparar para o mundo”.

Ao observar o todo, estamos no caminho?

Refletindo e vasculhando sobre isso que cheguei a outro conteúdo interessante…

Quando falamos de processos de aprendizagem, podemos atingir 5 níveis:

  1. Nível da percepção: quando notamos a existência de algo (por meio dos sentidos ou da mente). Aqui, não há profundidade no conhecimento.
  2. Nível do processamento: quando ocorre certa “digestão” (boa ou ruim) sobre um conteúdo, vivência. Geralmente acontece quando relacionamos o que foi recebido (em forma de aula ou experiência) com nossos conhecimentos, valores de vida, fatos passados, etc.
  3. Nível da memória: quando registramos as informações na mente, tornando-as fixas e dando a oportunidade de lembrança após determinado tempo (curto, médio ou longo).
  4. Nível da compreensão: quando o conhecimento está “preso”, aprofundado, faz parte da inteligência da pessoa. Ultrapassa o nível da memorização e já chega no âmbito da qualificação genuína.
  5. Nível da consciência: está um passo acima do compreender. Aqui, o conhecimento atinge um nível de capacitação, já é próprio, da natureza do indivíduo, inerente a ele.

Ao lembrar de minhas experiências ao ser “educado”, percebi que, na maioria das situações, cheguei até o nível da memorização. Ir além deste ponto não era fácil.

Quem não se lembra de uma experiência desse tipo (?): matéria chata, com aulas maçantes, alunos desinteressados…porém valia nota e, esta, compunha o boletim.

Qual a saída? “Decoreba”. E, logo após poucas horas de “estudo”, íamos para prova e….Voilà!! (lê-se vu a lá)

Nota boa, mas conhecimento zero!! Uma semana depois se fizessem a mesma pergunta da avaliação, não saberíamos N-A-D-A!! Faz sentido?

Obs.: geralmente memória boa existe em máquinas.

Daí, nesta linha de confabular sobre a educação e sua essência, entrei em contato com uma frase que muito elucida os desafios desta bela palavra:

Diga-me, e me esqueço. Mostre-me, e me lembro. Envolva-me, e compreendo.

 

ENVOLVA!! Pois somente assim a arte do educar ultrapassa as barreiras de uma sala de aula. O aprendizado vai além daquele momento de troca e invade a vida, forma valores, desenvolve habilidades e talentos únicos. Desperta paixões!!

Quando se trata de educação (na origem da palavra)…

Misture instrução com descoberta, instigue com perguntas, diversifique os meios e as atividades, proponha desafios reais!! Vamos preparar para o mundo e ao mesmo tempo estar mais preparados para ele!

Finalizando, deixo aqui algumas reflexões:

  • Qual o nível de envolvimento que os professores oferecem a seus alunos? Qual o nível de abertura que os alunos dão a isso?
  • Qual o nível de envolvimento que as empresas oferecem a seus colaboradores na hora de fechar uma semana de treinamentos?
  • Qual o nível de envolvimento que gerentes e diretores proporcionam a suas equipes na tomada de decisão?
  • Qual o nível de envolvimento que organizações dão aos estagiários e trainees para realizarem seus papéis?

Todos nós, seres humanos, tivemos, estamos tendo e/ou teremos experiências que envolvam educação. Seja da ação mais básica até a mais complexa. Como estamos cuidando deste momento?

Para mais dicas e conteúdos (e outras provocações), siga-nos no Twitter e Facebook.

Sobre o Autor: Gustavo Bonafé

Com experiências em mais de 30 países, é sócio-fundador da Kailo - desenvolvimento de jovens-, além de ser Facilitador do Programa Germinar de Transformação Social. Formou-se Consultor-Facilitador pela ADIGO (SP) e Anfitrião de Conversas pelo Art of Hosting. Tem como fonte principal de estudos a Antroposofia, é praticante de Aikido e tem como missão aprofundar e cuidar da Arte do Humor em processos de Desenvolvimento Humano.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.